rnstp rnstp rnstp

ADI recua na revisão da lei eleitoral que permitia a diáspora votar

Escrito por  rnstp Jan. 18, 2018

O partido Acção Democrática Independente (ADI) já não vai avançar, este ano, com a nova proposta da lei eleitoral que permitia aos santomenses na diáspora votarem nas eleições do país.

 

A informação foi avançada, esta quarta-feira, pelo Primeiro-ministro, Patrice Trovoada que diz ter sido informado da decisão dos deputados do ADI, há mais de um mês.

“Já mais do que um mês nós fomos informados pelo grupo parlamentar do ADI que não iriam mais avançar com a lei da Comissão Eleitoral. Por isso a lei que está em vigor, a lei antiga, irá permanecer, esclarece Patrice Trovoada acrescentando que o seu governo é de mudança, mas todas as reformas que podem causar polémicas, serão reavaliadas, e se não são essenciais, serão abandonadas e “mantidas tudo como está.”

Com esta decisão do partido ADI, partido que sustenta o governo, Patrice Trovoada diz ter ficado com mágoa em saber que, com isso, a diáspora santomense já não terá direito a votar, nas próximas eleições legislativas deste ano.

A proposta da lei que abria caminho para os santomenses na diáspora votar, foi aprovada no Conselho de Ministro, em 2016. O projecto já estava no Parlamento para sua apreciação.

Sendo este ano, o ano das eleições, o Chefe do Governo assegurou que algumas medidas serão tomadas para que as próximas eleições ocorram de forma transparente. Entre as medidas, está a actualização dos cadernos eleitorais e capacitação dos jornalistas.

 

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

  1. Popular
  2. Favorito
  3. Comentado

Ligue-se a nós

Calendário das Publicações

« Maio 2018 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31      

Filtrar por temas